Videos Relacionados

Loading...

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Início da Atividade Agrícola

Analisando o livro de Hobsbawm, que trata da Revolução Industrial, lembrei-me de outra Revolução, bem mais antiga, mas não menos importante: a Revolução Agrícola.

Costumo dizer aos meus alunos que a "descoberta" da agricultura foi uma "revolução", no sentido de que mudou tudo na vida do ser humano ("revolução" não é somente com uso de armas, viu?). Observe a imagem abaixo:



Parece tão simples, não é? Mas o ato de descobrir que poderíamos "jogar" uma semente no chão, e com alguns cuidados, elas "germinariam", precisou de muito tempo de atenção e deduções, até que os seres humanos pudessem "viver" dessa "descoberta"...

Há 11 mil anos, já se plantava trigo e cevada no Oriente Médio; há 10 mil anos, plantavam-se batatas e feijões na América do Sul e milhete e arroz na Ásia Oriental. E, antes que você pergunte, a resposta é sim, nem todos conheciam todos os vegetais...

Podemos dizer que alguns vegetais serviram de "base" para a alimentação e o crescimento das populações. Isto quer dizer que, apesar de comer carne (caça e pesca) e vegetais colhidos (vegetais rasteiros, raízes, frutas, etc.), aos poucos, alguns alimentos foram se tornando "essenciais". Olhe a figura abaixo:



Essa é a tela Moça no Trigal, de Eliseu Visconti (1866/1944). Ela foi pintada em 1919, e retrata bem a importância do trigo, em nossa vida, a ponto de um pintor imortalizá-lo. O trigo serve de base para o pão, desde aquele que comemos no café da manhã, até aquele que é servido na hora da "comunhão", mais conhecido por hóstia, entre os católicos. Além disso, é de trigo que se faz o macarrão e todas as demais massas, que todos os povos apreciam, desde chineses até italianos e brasileiros...



Outro vegetal de grande importância é o milho. Ele já era consumido pelos ameríndios, os povos que viviam nas Américas antes da chegada dos europeus. Astecas, Maias, Incas e índios brasileiros se acostumaram a plantar seus milharais onde iam, e até na América do Norte, o primeiro Dia de Ação de Graças entre ingleses e indígenas teve milho como alimento principal. Dele se faz a farinha de milho, a tapioca, o cuscuz, o curau, o bolo de milho e de fubá e muitas outras iguarias, que muitos conhecem apenas nas Festas Juninas, hoje em dia...



O terceiro "grande alimento da humanidade" é o arroz, que começou a ser cultivado nos países do Oriente (China, Japão, Indonésia, etc.). De lá, o arroz se espalhou pelo mundo todo, passando a ser a base da alimentação de muitos povos. E se você acha que arroz só existe aquele, branco, da panela, é porque nunca provou bolinhos de arroz, ou um sushi, um risoto com frango ou uma paella (prato espanhol, uma espécie de "risoto" com frutos do mar), e muitas outras delícias...

No início do texto, falamos em "revolução", promovida pela agricultura. Logo detalharemos essa idéia. Mas, para você ir pensando no assunto, observe as duas imagens abaixo:



A primeira é típica do Período Paleolítico. Mostra um grupo de caçadores, que depende da caça (e da coleta) para poder conseguir o alimento...Provavelmente, não sobrava muito tempo para outras atividades...



A segunda, apesar de ser uma fotografia atual, representa a "Revolução Agrícola", do Período Paleolítico. Repare que a variedade de alimentos e bem maior, o que garante uma dieta mais rica. E, quanto ao tempo livre, falaremos depois...